Dashboard 2.0

A importância de desenhar dados.

 

Já falamos sobre a importância do design em todas as áreas profissionais nesse outro artigo. Pois bem, possivelmente uma das últimas áreas a dar devida atenção à estética e aos conceitos visuais foi a de desenvolvimento e processamento de dados, talvez por focar mais na lógica e nas informações contidas e aglutinadas em seus bancos de dados e sistemas, ou quem sabe por conta da inteligência matemática que por vezes nos faz ignorar a percepção emocional e sua real necessidade no mundo, até mesmo digital. Enfim, de qualquer forma, de que adianta se desenvolver um software com uma programação brilhante, se sua tela é pouco-intuitiva, de difícil compreensão, cansativa e nada atrativa? Você não conseguirá atingir seus usuários e clientes, e consequentemente não conseguirá vender seu projeto.

 

“Dashboards: …Uma tela composta de uma ou mais camadas, sob a forma de um painel, com instrumentos virtuais (knobs, mostradores, bargraphs) onde se associam dados a serem monitorados além de gráficos que mostram a evolução de variáveis… ”
Fonte: Wikipédia

 

Até hoje os grandes Dashboards presentes nas maiores empresas possuem pouca ou nenhuma preocupação quanto ao design, talvez por normalmente se tratar de um sistema que será utilizado internamente e nunca chegará aos olhos do público-final, ou talvez por ser um projeto que vende na verdade a inteligência e a lógica de dados e nada relacionado à estética. Mas por fim acabam por se esquecer do quanto um bom layout pode vir a beneficiar aqueles que ali despejam sua atenção diariamente.

 

Fontes legíveis, hierarquização de dados, espaçamentos bem definidos, enfim, uma boa diagramação das informações podem levar o funcionário a compreender melhor e ter melhores insights quanto ao que está sendo tratado naquele relatório. Gráficos e ícones corretamente apresentados podem auxiliar na memorização e processamento das informações na mente dos analistas. Uma paleta de cores bem planejada, com tons equilibrados e agradáveis auxiliam na percepção de elementos importantes e também no quão prazeroso será passar o dia todo olhando para aquele monitor, além de existir um estudo conciso quanto aos efeitos psicológicos gerados por cada nuance cromático.

 

Enfim, existem diversas técnicas e estudos direcionados para como melhorar a atenção e compreensão de usuários em interfaces e gráficos, além de tornar mais intuitiva a leitura das informações apresentadas para que qualquer leigo consiga assimilá-las. Toda esta percepção refletirá não somente no resultado final do que será entregue pelos funcionários, mas também na produtividade e bem-estar de sua rotina profissional. O que nos leva a concluir que a estética ali também é importante e deve sim ser respeitada, afinal criar algo bem arquitetado, intuitivo, de fácil percepção e entendimento, além de agradável aos olhos, não é apenas uma “frescura”, não é somente a cereja do bolo, mas faz parte do quanto você quer que aquela informação seja compreendida e processada não dentro de seu sistema, mas sim pela mente humana que a analisa.

 

Nós da FirstCube criamos o conceito de Dashboard 2.0, projetados para combinar dados analíticos de forma visualmente atrativa e lógica, tornando mais rápida e eficaz a assimilação e as tomadas de decisão para todo tipo de negócio. Quer saber mais? Clique aqui.